Minha instalação e pós instalação.

No mês de dezembro de 2010, tive que trocar de placa mãe e de vídeo, depois de uma infelicidade ocorrida no meu antigo hardware que contava com uma placa mãe Intel DGP31BR e uma ATI HD RADEON 4550, onde um pequeno rato, entrou no gabinete e fez a festa.

Acabei mudando para uma Gigabyte G31M-ES2L e uma ATI HD RADEON 5670 e ao instalar o Arch, fiquei meio perdido pois, algumas coisas já tinha esquecido e para facilitar, criei um passo-a-passo da minha instalação para ter o sistema básico do Arch e depois, instalar o Xorg, Gnome e cia.

Como essa placa mãe tinha referência como pequeno prodígio das low-end onde coloquei meu processador Core 2 Duo e4500 de 2.2 Ghz para 2.4 Ghz, logo logo vai pra 2.6 e quem sabe 2.8 se tiver coragem de trocar de memória ram com mais qualidade e que aguente o tranco.

Vendo o Planeta Arch Linux Brasil mais especificamente este post do Berlotto, resolvi divulgar meu passo-a-passo.

Instalação

Pequeno lembrete, não irei aborda todo o processo de instalação vou só indicar o que fazer, se quiser saber como instalar o Arch veja este link, esta é a documentação mais atualizada até onde sei.

Inicialmente, após dar boot no computador pelo CD de instalação, escolha a opção referente a arquitetura que você está usando.

Depois que o cd de instalação carregar, logue no ambiente de instalação com o usuario root e execute os seguintes passos:

Alterar o teclado com o comando ‘loadkeys br-abnt2’ (podendo também, usar o comando ‘km’);
Execute o cfdisk, particione o seu HD;
Execute o script de setup com o comando ‘/arch/setup’;
Selecione os pontos de montagem e o tipo de filesystem;
Selecione os pacotes, depois instale;
Instale os pacotes;

Como o SISTEMA BÁSICO (grupo base) é usado quase que 100%, principalmente como dependência de algumas apps para desktop não removo nenhum pacote.
E também, como precisamos compilar alguns pacotes selecionamos junto com o grupo base, o grupo base-devel.
Caso você precise de mais algum pacote, fique atento após a seleção dos grupos base e base-devel, pois existem outros pacotes caso queira conferir, fique esperto.

Nesta parte, é necessario editar pelo menos dois arquivos: locale.gen e rc.conf, o ideal é editar todos que você ache essenciais.
Recomendo fazer uma configuração básica, apenas.

Configure o sistema;
Instale o GRUB;
Reboote o sistema;
Logue no sistema como root;

Verifique se precisa configurar o pacman ou mais alguma outra coisa;
Se você instalou usando o core (recomendo a instalação a partir do core), atualize a distribuição:

# pacman -Syu

Reboot;
Agora configure todo o sistema, conforme seu gosto e necessidade;
Como gosto do vim, vou instalar primeiro o pacote para poder continuar;

# pacman -Sy vim
# cp /usr/share/vim/vim73/vimrc_example.vim ~/.vimrc

Levante os módulos necessários no boot para ter uma inicialização mais rápida (principalmente no udev events):

# pacman -Sy hwdetect
# hwdetect –modules >> /etc/rc.conf

Agora edite o rc.conf e organize-o:

# vim /etc/rc.conf

Crie o usuário para usar o sistema:

# useradd -d /home/nome_do_usuario -m -G audio,wheel,storage,disk,log,optical,power,locate,tty,users,video -r -s /bin/bash nome_do_usuario
# passwd nome_do_usuario

Ao criar um novo usuário você já terá um SISTEMA BÁSICO, totalmente funcional e pronto para instalação de um ambiente gráfico.
Espero que vocês entendam o que é SISTEMA BÁSICO, pois todo dia vejo nego afirmando que Xorg e outras aplicações para desktop serem sistema básico e não são.
Fica a dica ai pro pessoal.

Ambiente Desktop

Vamos começar pelo som do sistema:

# pacman -Sy alsa-lib alsa-utils alsa-oss alsa-plugins
# alsaconf
# alsamixer
# alsactl store
# vim /etc/rc.conf (para adicionar o alsa na array DAEMON)

Como algumas aplicações ainda usam o HAL, vamos instalar alguns pacotes:

# pacman -Sy fam hal dbus

Adicione o fam, hal e dbus na array DAEMON, sempre seguindo a ordem correta dos serviços, hal precisa do dbus para iniciar.

# vim /etc/rc.conf
dbus to $DAEMONS
hal to $DAEMONS
fam to $DAEMONS

Inicie os serviços.

# /etc/rc.d/dbus start
# /etc/rc.d/hal start
# /etc/rc.d/fam start

Instale o Xorg:

Comece a instalação dos pacotes do Xorg e do synaptics (se estiver instalando em um notebook);

# pacman -Sy xorg xf86-input-synaptics xf86-input-mouse xf86-input-keyboard

Agora faça a instalação do driver de vídeo, no meu caso é a catalyst da amd (no desktop), proprietário;
É preciso baixar do AUR os pacotes catalyst-utils e catalyst;

$ cd catalyst-utils
$ makepkg -c
# pacman -U catalyst-utils-10.11-1-x86_64.pkg.tar.xz

Realize os procedimentos mostrados no pos-install do catalyst-utils e continue a instalação do driver;

$ cd ../catalyst
$ makepkg -c
# pacman -U catalyst-10.11-1-x86_64.pkg.tar.xz

OBS.: Como você vai usar o makepkg, configure o makepkg.conf para colocar o source do pacote em um mesmo lugar, evitando fazer downloads desnecessários.

Instale o qt para ter acesso ao “administrador” da placa de video;

# pacman -Sy qt

GNOME

Instalando o Gnome
Grupo Gnome

# pacman -Sy gnome

    * epiphany [TALVEZ]: webrowser do Gnome;
    * gnome-applets [SIM]: applet para as barras do Gnome;
    * gnome-backgrounds [SIM]: papeis de parede;
    * gnome-control-center [SIM]; centro de controle do Gnome;
    * gnome-desktop [SIM]: O desktop do Gnome;
    * gnome-icon-theme [SIM]: icones;
    * gnome-keyring [TALVEZ]: daemon gerenciador de senhas do GNOME;
    * gnome-media [SIM]: pacote multimidia do Gnome;
    * gnome-mime-data [SIM]: banco de tipos de arquivos;
    * gnome-panel [SIM]: painel de controle;
    * gnome-screensaver [SIM]: Controle de screensavers;
    * gnome-session [SIM]: gerenciador de sessoes;
    * gnome-settings-daemon [SIM]: gerenciamento de configuracao;
    * gnome-terminal [SIM]: terminal do gnome
    * gnome-themes [SIM]: temas;
    * gnome2-user-docs [SIM]: documentos sobre o Gnome;
    * metacity [SIM]: Gerenciador de janelas;
    * nautilus [SIM]: gerenciador de arquivos;
    * notification-daemon [SIM]: Framework de notificacoes
    * yelp [SIM]: sistema de ajuda.

Grupo Gnome-extra

# pacman -Sy gnome-extra
# pacman -Sy alacarte bug-buddy cheese deskbar-applet eog evince file-roller gcalctool gconf-editor gdm gedit gnome-audio gnome-netstatus  gnome-nettool gnome-power-manager gnome-system-monitor gnome-utils gucharmap hamster-applet mousetweaks nautilus-sendto seahorse seahorse-plugins sound-juicer totem zenity

    * alacarte [SIM]: editor de menus do Gnome;
    * bug-buddy [TALVEZ]: reportador de bugs;
    * cheese [TALVEZ]: programa para webcam;
    * dasher [NAO]: interface de entrada para pessoas com necessidades especiais;
    * deskbar-applet [SIM]: barra de pesquisa tudo-em-um da barra do Gnome;
    * ekiga [NAO]: Videoconferencia do Gnome (GnomeMeeting);
    * empathy [SIM]: IM;
    * eog [SIM]: eye of Gnome, visualizador de imagens;
    * evince [SIM]: vizualizador de pdf;
    * evolution [NAO]: cliente de mensagens instantâneas;
    * evolution-exchange [NAO]: conector Evolution – MS Exchange;
    * evolution-webcal [NAO]: gerenciador de calendarios web;
    * file-roller [SIM]: manipulador de arquivos compactador;
    * gcalctool [SIM]: calculadora;
    * gconf-editor [SIM]: configurador do Gnome;
    * gdm [SIM]: gerenciador de login do Gnome;
    * gedit [SIM]: editor de texto simples;
    * gnome-audio [SIM]: efeitos sonoros do Gnome;
    * gnome-games [NAO]: jogos;
    * gnome-games-extra-data [NAO]: Dados para os jogos;
    * gnome-mag [NAO]: lente de aumento;
    * gnome-netstatus [SIM]: applet que mostra o status da rede;
    * gnome-nettools [SIM]: ferramente de rede;
    * gnome-power-manager [SIM]: gerenciador de energia;
    * gnome-system-monitor [SIM]: mostra o estado do seu sistema;
    * gnome-utils [SIM]: utilitarios diversos;
    * gok [NAO]: teclado virtual;
    * gucharmap [SIM]: mapa de caracteres;
    * hamster-applet [SIM]: aplicativo de gerenciamento de tempo;
    * libgail-gnome [NAO]: GNOME Accessibility Implementation Library;
    * mousetweaks [SIM]: melhorias de acessibilidade de mouse;
    * nautilus-sendto [SIM]: Nautilus context menu for sending files;
    * orca [NAO]: leitor de tela;
    * seahorse [SIM]: gerenciador de chaves PGP;
    * seahorse-plugins [SIM]:
    * sound-juicer [SIM]: ripador de CDs de audio;
    * tomboy [NAO]: gerenciador de notas rapidas;
    * totem [SIM]: tocador de medias;
    * vinagre [NAO]: cliente VNC;
    * vino [NAO]: servidor VNC;
    * zenity [SIM]: framework de janelas de dialogo;

Pacotes extras para o gnome

# pacman -Sy gnome-system-tools

Complementos do ambiente gráfico

# pacman -Sy gstreamer0.10-plugins

Instalando fontes do ambiente gráfico

# pacman -Sy ttf-dejavu ttf-bitstream-vera

Instalando descompactadores

# pacman -Sy unrar unzip p7zip

Softwares dicionais

# pacman -Sy firefox xchat pidgin chromium emesene
# pacman -Sy vlc comix rhythmbox
# pacman -Sy ntfs-3g
# pacman -Sy thunderbird
# pacman -Sy jre jdk vuze
# pacman -Sy libreoffice libreoffice-extensions (lembre-se libreoffice-extensions é um grupo)
# pacman -Sy abs

Depois disso adicione o módulo fuse na array MODULES do rc.conf e veja qual daemon do avahi vai adicionar a array DAEMON.

# vim /etc/rc.conf
fuse to $MODULES
avahi-daemon to $DAEMONS

Adicionando usuario aos grupos adicionais

# gpasswd -a nome_do_usuario camera,dbus,hal,stb-admin

Do AUR

    * ttf-ms-fonts;
    * flashplugin-prerelease;
    * virtualbox_bin;
    * pms;
    * dropbox

Se você está instalando em um notebook, recomendo o uso do wicd para gerenciar suas interfaces:

# pacman -Sy wicd

Tenha certeza que seu usuario esta no grupo network, e entao abra o /etc/rc.conf e altere a linha:

INTERFACES=(eth0)

Para:

INTERFACES=(!eth0)

E na ultima linha, adicione os servicos, ela deve estar assim:

DAEMONS=(… !network wicd gdm)

Note a ! na frente de network, isso ira desabilitar este servico, salve e feche o arquivo e reinicie o computador.

Algumas observações:

O Teclado no gnome é configurado apartir do GDM ou após a inicialização dele.
Recomendo configurar apartir do GDM, pois ao entrar com a senha, o teclado já vai estar ok.

Se os icones do menu Sistema do gnome não aparecerem execute os seguintes passos:

Application >> System Tools >> Configuration Editor, /desktop/gnome/interface/ e habilite “menus_have_icons”.

Qualquer coisas estranha, verifique primeiro neste link: https://wiki.archlinux.org/index.php/GNOME_2.28_Changes

Bom, é isso. Se tiverem alguma sugestão ou crítica, podem mandar nos comentários.
Até a próxima.

11 comments

  1. gio disse:

    Muito obrigado pela referência e meus parabéns pelo artigo, ficou muito bom!

    Grande abraço!

  2. Igor Ramos Tiburcio disse:

    pacman -Sy _pacote_ pode quebrar o sistema, não é recomendado, tem até nota no wiki: https://wiki.archlinux.org/index.php/Pacman#Installing_packages e é um dos erros mais cometidos… o correto é: pacman -Syu e pacman -S _pacote_ ou pacman -Syu _pacote_

    Outra dica é substituir o obsoleto fam pelo gamin.

    []’s

    • leandro disse:

      Desde 2006 que faço desse jeito ( -Sy ) e NUNCA tive problemas…
      Pois sempre mantenho meu sistema atualizado.

      O grande problema do -Sy é você não estar com seu sistema atualizado e quer instalar um pacote que precisa de uma dependência mais atual do que a existente no seu sistema.

      Se você der um -S pacote e ele não existir mais no repositório? Esse é o grande problema, o ideal é sempre manter o sistema atualizado e evitar problemas.
      Caso não, você usa o ABS e fica feliz, se souber como usar.

      Outra coisa também, quando se for realizar uma atualização, é bom ir ao console (tty) dar um shutdown no ambiente gráfico e realizar a atualização, depois voltar.

      Valeu pela dica do gamin.

  3. Valeu tbm ai Leandro !
    Um abraço..

  4. leandro disse:

    @gio e @berlotto,

    Sempre gosto de referenciar boas documentações.

  5. Igor Ramos Tiburcio disse:

    =Pode= não é mesmo que =vai= quebrar, e existe um =e= antes do pacman -S pra indicar que os comandos deve ser usados em sequencia (e o =ou= indica uma segunda opção). Dizer que faz de uma forma não usual ha anos, e que nada aconteceu também é irrelevante; mas, no final das contas, é somente um recomendação (levada muito a sério no fórum internacional), segue quem quiser, levantei o ponto porque, como disse, várias pessoas cometem o erro e eu imagino que esse blog seja visto por parte delas…

    Espero que intenda, até!


    Outra coisa, se você não usa o gnome-vfs pode remover o hal, o gnome já funciona perfeitamente sem.

    • Sim, eu entendi o que você falou…

      E foi bom você ter respondido, pois fica claro para as pessoas que tem dúvidas sobre isso.

      Volto a repetir, o ideal é manter o sistema atualizado.

      Sim, o hal já está em “remoção” no GNOME desde a versão 2.28 ou é 2.30, não me recordo direito.

      Valeu pelos comentários esclarecedores.

  6. Leandro, gostei do post, principalmente sobre os pacotes do GNOME.

    Abraços.

  7. Rafael Gomes disse:

    Muito bom o texto, olha eu aqui de novo pegando as infos para a nova install

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *