Arch Linux vs. Usuário e Arch Linux vs. Stable

Arch Linux

Arch Linux vs. Usuário, Missão Impossível ao Extremo!!!!

Estou tentando ao máximo possível me libertar da praga de ajudar usuários que não sabem diferenciar um problema de software e um problema causado pela distribuição.

Muitos vivem reclamando que Arch bug isso, bug aquilo, dev isso, dev aquilo. Ver esse tipo de atitude dos usuários, que não tentam pensar ou descobrir as origens do problema, cansa e muito. E O PIOR, não tentam se quer, aprender como funciona o gerenciamento de pacotes e como funciona o desenvolvimento da distribuição, que são pontos importantes para evitar problemas com qualquer distribuição E MUITO MENOS reportam os problemas que acontecem, desse jeito fica complicado, pois ninguém tem bola de cristal.

Bons exemplos disso foram os updates do X.org, quando mudou a forma de detectar os devices e passou a usar o HAL, causando transtorno a algumas pessoas que precisaram aprender a configurar seus teclados e touchpads e atualização do GNOME 2.28. E hoje, é a nova versão do Xorg (xorg-server 1.7.x).

Tenho links de blogs e de fóruns, mas para evitar qualquer tipo de problema não postarei.

Qual o motivo dessa “revolta”?

Primeiro, se o usuário tem problemas com update, ele não procura no site, não assina a lista dev public, não procura no fórum oficial e nem no bugs report da distribuição. Segundo, o infeliz não procura olhar nos logs (do Xorg principalmente), não sabe olhar nos sites dos projetos (como Gnome, Kde, Xfce, etc…) para ver o que mudou de uma versão para outra. Não faz isso e já vai que nem louco postar no fórum, mail-list e perguntar no IRC o motivo do problema, se alguém demora para responder ou ignora, o usuário já sai chingando a distribuição, dizendo que não presta, é bugada, é distro amadora, etc.

Terceiro, Arch é focado basicamente em binários, consequentemente requer bastante cuidado. Não é igual ao Gentoo, onde você pode customizar tudo o que quer e não se preocupar com os updates.

Como no OpenBSD, teoricamente os desenvolvedores das distribuições, sabem o que estão fazendo, e recomendam não customizar tanto um software, e quando fazem essas customizações, muitos usuários não sabem lidar com as ideias dos desenvolvedores e com o pacman (suas configurações). Se você configura uma coisa e não quer que aquela configuração seja atualiza, dê uma olhada na man page do pacman.conf, e observe a opção NoUpgrade, isso é um excelente exemplo da falta de descaso com a distribuição.

Se realmente querem customizar e ainda sim querem usar o Arch, usem o ABS e aprendam também a usar a opção, IgnorePkg junto com NoUpgrade. Sendo assim, aguentem a consequência de fazer o update manualmente. O que acaba nos levando ao Quarto ponto, dependências.

Essas reclamações são as que enchem mais a paciência ou terminam com ela. O que tem de reclamação sobre isso não é brincadeira. Se o senhor não quer dependência X, Y, Z, faça como no lance das customizações.

“Ahhhh mas é o KDE, é muito grande, é um grupo, editar as PKGBUILDS não dá!”

Isso é clássico… KDE hoje é modular, o pacman já suporta split de pacotes, ficando mais fácil essa tarefa.

Quinto ponto, falei acima que é importante você conhecer a distribuição na parte de gerenciamento de pacotes e no desenvolvimento da mesma, em outras distribuições (como Debian, Gentoo e Slackware) os usuários são ligados nesses pontos sendo que no Arch muitos não fazem o mesmo, até hoje não entendo o motivo disso. Qual a diferença do Arch para as outras???

Analisando esses pontos, IMHO… Opinião TOTALMENTE pessoal (só para reforçar), 92% dos casos de problemas causados no Arch é pura culpa do usuário, como tem nos reviews e descrições feitas do Arch, distribuição feita para usuários experientes ou usuários que querem entender como funciona, que querem estudar.

Veja o FAQ do Arch, leia esta pergunta, mais esta e esta aqui. E ENTENDA BEM O QUE É E COMO AS COISAS FUNCIONAM NO ARCH!!!! EVITE PROBLEMAS PARA VOCÊ E PARA OS OUTROS que tentam te ajudar, infeliz!

Padawan, para você conseguir isso, precisa deixar de ser preguiçoso e começar a pensar, ler e saber solucionar seus problemas sozinho.

E agora Mestre Yoda e os outros 8% dos problemas?? Isso fica dividido entre problemas do upstream e falta de massa cinza na cabeça de alguns desenvolvedores. Vamos explicar um fato que engloba esses 2 aspectos e vocês vão entender: Primeiro temos uma thread que fala sobre o teste do novo Xorg e falando dos seus problemas e agora temos outra thread que fala sobre os problemas que o Xorg teve depois que foi movido para o extra.

Agora explicarei os problemas do Arch e do Upstream causadores dos problemas.

O problema do Arch é a falta de planejamento de desenvolvimento, cada um no seu quadrado. Se alguém mantém o Xorg e deixa no testing até que se resolva os problemas dos drivers, ninguém deveria meter o dedão e mover para o extra (que foi o problema dessa nova versão do xorg e pode ser visto nas 2 threads que coloquei aqui). Ninguém quer manter 2 versões de pacotes, a não ser, que seja altamente/extremamente necessário ou não tenha outra saída para resolver os problemas encontrados.

Sempre fui a favor de apenas 5~7 pessoas ajudando a manter o repositório core, assim aumentaria a estabilidade e a compatibilidade dos pacotes, dividir a pequena equipe em subgrupos (Xorg, KDE, Gnome, etc.), como existe no gentoo e debian. Cada um no seu quadrado. Como isso basicamete não existe, acontece esse tipo de problema como o atual do xorg.

Outro quesito importante é a parte de segurança que não é muito o forte do Arch, uma alternativa que ajudaria nisso seria o Sheriff, um software que “faz um diff” de vulnerabilidade entre NetBSD e Arch, feito pelo Paulo “thotypous” Matias, foi bem aceito pela equipe do Arch, só que não vingou e está a um ano sem desenvolvimento. Alguém se habilita a ajudar no projeto??

Segurança deveria ser mais ativo no desenvolvimento do Arch.

Upstream é coisa séria, como esses modificam as coisas, acaba meio que contribuindo e botando em cheque a credibilidade do Arch, pois o Arch bota no repositório e o usuário se vire para se adequar as mudanças dos projetos. Motivo??? Que o Arch não testa os pacotes, será mesmo????

Arch deixa kernel (depois de várias lapadas na cara que os desenvolvedores levaram) por um tempo indeterminado, pode ser de 1 dia a mais de mês no testing e agora temos o kernel-lts (que é uma ótima alternativa). Gnome 2.28.x ficou no unstable por 1 mês, o Kde 4 da mesma forma, Xorg do mesmo jeito e mesmo assim existe problemas, por que isso???

Pelo simples fato do Arch não ter usuários suficientes para ajudar nos testes, como Debian, Gentoo e Slackware tem. Para inicio se o que falei aqui fosse feito tanto por parte dos usuários e dos desenvolvedores, Arch melhoraria mais sua estabilidade e muito sua credibilidade.

Arch Linux vs. Stable

Apesar de tudo que falei acima, considero Arch bem estável.

Muitos usuários reclamam disso por dois motivos, primeiro por querer upstream bem testado (praticamente impossível, pois aqui eles são testados o suficiente para garantir que funcionam) tipo debian e segundo por terem vontade de usarem Arch em servidores.

A primeira já abordei um pouco, a segunda é meio complicada, mas também pega um pouco do que falei acima… Só que o principal para se pensar no segundo motivo, está aqui.

Fora realizar testes antes de jogar em produção, para garantir que a lei de Murphy não te pegue de surpresa. E por favor, saibam usar o ABS + pacman.conf adequadamente.

Como tem no wiki: “Você faz a estabilidade do seu Arch Linux!”

Já que você faz a estabilidade, qual a razão de você acompanhar o update de cada pacote em outras distribuições quando você usa em servidores e não faz no Arch???

Esse é um erro fatal de muitos, como já disse… ABS + pacman.conf na cabeça, pensem nisso. 😉

Bom, por enquanto é isso. Se você não gosta ou não concorda com o que falei aqui sobre o Arch. Melhor você usar Debian!

Arch Linux não é pra qualquer um, ele seleciona bem seus usuários. x)

Saudações,

Leandro “skate_forever” Inácio

12 comments

  1. Estêvão disse:

    Fala Leandro, gostei das suas colocações. Acho que realmente os usuários precisam se esforçar um “pouquinho” mais antes de reclamarem da distribuição. O Arch realmente não é o ideal para um usuário novato que não tem disposição de fuçar e aprender.

    No mais, acho o Arch a distribuição PERFEITA para aqueles que já conhecem Linux e gostam de customizar o sistema sem ter que se matar para isso.

    Até mais! 🙂

  2. Douglas Silva disse:

    Belo post !

    Acho interessante também para o usuário ir conhecer o ARM ( ArchLinux RollBack Machine – http://arm.kh.nu/ ), um mirror que faz snapshot dos pacotes antigos até os atuais dos repositórios.

    No mais, muitos usuários são acomodados e esperam que a solução apareça na mão. Coisa muito difícil, sendo que existe uma boa documentação para resolver diversos problemas. Um exemplo:

    http://wiki.archlinux.org/index.php/Downgrade_packages

    Att,

    Douglas

  3. Bino disse:

    Muito bom Leandro este artigo sobre o Arch. Eu tenho usado ele já faz quase um mês e estou sempre aprendendo, ainda mais essas contribuições de textos igual a sua.
    ABS + pacman.conf 🙂

    []’s

  4. Phillipe disse:

    UAU!
    Muito boa sua colocação meu velho!
    Todo santo dia eu entro no fórum, mas sinceramente, não vejo mais a mínima vontade em ajudar muitos alí.
    Uso Arch há quase 2 anos e nunca tive um problema que eu não tenha conseguido resolver. E não porque é eu sou NERD no sistema, é simplesmente pelo fato de ter a curiosidade de como funcionam as coisas e de como solucionar certos problemas.
    De uns tempos pra cá, temos muito usuários que acham que Arch é Ubuntu. E isso é desanimador. Não estou falando que o Ubuntu é ruim, só estou falando sobre suas ferramentas e facilidades para um usuário leigo. Coisa que não é o foco do Arch.
    Gostaria muito que nossos ArchUsers criassem um pouquinho mais de amor e curiosidade por esse sistema MARAVAILHOSO que até hoje não vi um igual.
    Isso faria a distribuição crescer muito mais e se tornar grande competidora com distribuições como Ubuntu, Fedora, Opensuse e outras.
    Bem, é isso. Muito bom o post Leandro!
    Abraços!

  5. Leandro, isso me lembra as diversas discussões que tivemos.
    Concordo bem com suas colocações.

    Um abraço garoto!

  6. Paulo de Almeida disse:

    Leandro, muito bom o seu post, eu sou usuario Ubuntu a quase dois anos, sou voluntario no time de tradução, mas gostaria de me aprofundar mais no Linux e depois de pesquisar e perguntar na lista do KDE (até levei bronca por perguntar), escolhi o Arch como nova distro, mas… após ler a documentação disponivel que é bastante extensa e completa, encontrei o que procurava, mas todas as minhas tentativas não funcionaram e fiquei constrangido de perguntar, pois sei o quão chato é perguntas bobas de pessoas que não lêem e nem procuram saber o por quê. Enfim, não venho aqui para dizer que vc esta errado, pelo contrario esta certo, mas um pouco de tolerancia ajuda um bocado. A proposito onde acho como criar pen drive bootavel? Ja tentei varias coisas e nada. =]

    Abraços

    • Paulo,

      O pendrive bootavel, é só você baixar a iso e usar o comando dd para “jogar” a iso no pendrive.
      No próprio site do Arch ele fala isso.

      “All available images can be burned to a CD, mounted as an ISO file, or be directly written to a USB stick using a utility like `dd`.”

      http://www.archlinux.org/download/

      Logo no inicio da página e você pode encontrar referências no wiki.archlinux.org.

  7. Felipe disse:

    Eu uso debian stable e achei bem interessante o arch, mas antes de migrar eu pesquisei e li que a cada atualização você tem que ficar esperto pois o sistema pode quebrar. Sou um desenvolvedor e tenho prazos para cumprir, imagina que você ta desenvolvendo, atualiza o sistema e ele para. Não me importo em pesquisar, até acho legal, porque agente conhece mais o sistema e talz.
    Agora te pergunto, como eu poderia migrar para um sistema que não posso confiar em suas atualizações?

    • Simplesmente não migra, concorda?

      Muita gente reclama das atualizações do Arch, mas não se dão o trabalho de ler, ao menos uma notícia no site do Arch falando o que mudou, que é o grande problema no Arch.

      Hoje pra você ver, gnome 3, passou mais de mes sendo testado e quando saiu a versão 3.0.1, é que foi pro extra, e muita gente falou merda.
      Por não ser aquilo que eles esperavam.

      Se o cara usa o Arch, ele deve no mínimo pensar em acompanhar o site, quando tem updates grande (principalmente Xorg, Gnome, KDE e afins), concorda?

      Confiar ou não na atualização dos pacotes vai depender de cada usuário, eu mesmo uso testing sem muitos problemas na minha máquina e por fim, acabo colaborando com a minha distribuição reportando problemas e/ou soluções, para entregar um sistema estável para outras pessoas que não podem ou não fazem o mesmo.

      Outra coisa, não dá pra tá comparando Debian e Arch, por vários motivos:

      1- Debian, tem um ciclo de desenvolvimento muito intenso, passando vários anos até chegar no estável;
      2- A equipe de desenvolvimento do Debian é muito maior e tem uma organização muito grande em relação ao Arch;
      3- Quantidade de usuários ajudando no desenvolvimento da distribuição é totalmente superior do que no Arch;

      Esses e outros fatores, fazem com que o Debian seja “relativamente” mais estável que o Arch.

      E como sempre, o Arch é aquilo que você faz.
      Arch não vai fazer nada além daquilo que ele oferece, pacotes os mais estáveis possíveis vindo do upsteam, sem nenhuma ou pouca modificação.

      Muitos problemas do Arch, se dão por conta dos usuários que não prestam atenção naquilo que faz.
      Se você quer ter o controle do que instala e ainda quer controlar o que pode ou não fazer, de forma manual e simples, Arch é uma boa pedida.
      Vale a pena dar uma testada.

      Mas, se você tem receio do Arch por conta de algumas falacias, de que é instável e não se pode confiar nos updates, infelizmente Arch não é para você.

      Qualquer dúvida, pode perguntar, respondo com maior prazer.

      Lembrando também que tem +- 2 anos desse post, então, muita coisa vem melhorando de lá pra cá.

      PS.: Quando falo, você, me refiro a qualquer um que leia esse post.

  8. Eduardo Barbosa disse:

    Boas colocações, Leandro. Creio que antes de escolher uma distro, é extremamente importante ler o maior número de post sobre ela.

    Vou relatar um pouco sobre minha experiência.
    A primeira distro que utilizei foi o Ubuntu e, com ela, comecei a me interessar pelo “mundo” GNU/Linux. Mas tinha uma coisa que me incomodava, que era justamente o Ubuntu ter um “pai” muito forte, presente e disponível, que era o Debian.
    O que fiz? Instalei o Debian. E posso dizer, gostei muito de utilizar o sistema. Muito robusto e estável.

    A medida que o tempo foi passando e meus conhecimentos aumentando um pouco, fui notando coisas que faltavam no Debian e que, apenas uma distro me satisfaria (segundo os fóruns, sites, blogs, dicionário, bíblia, …). O que faltava em praticamente todas as distros que o Arch tem é atualização.

    Atualização e Rolling Release foram os dois termos que me fazem estar utilizando Arch (há MUITO pouco tempo: menos de 2 meses).

    É MUITO bom ver nos fóruns, por exemplo: LibreOffice versão x.x disponível. Eu sei que logo logo ela vai estar disponível no Arch Linux. Já no Debian/Ubuntu eu não esperava por isso.

    Nessas minhas buscas, sempre li, que o Arch tem como ponto forte as atualizações e ponto fraco a estabilidade. Mas quero deixar BEM CLARO: NUNCA PERCEBI FALTA DE ESTABILIDADE NO ARCH.

    Então, pra quem quer experimentar outras distros:
    1º Leia
    2º Leia
    3º Leia
    4º Teste
    Se tiver problema, LEIA MAIS, porque você fez algo errado.

    Acho que era isso que eu queria falar. #ASAGIGANTE

    • Como disse no post, tudo vai depender do usuário!

      Nesse tempo que uso Arch, sempre comparei com outras distribuições e percebi que estabilidade basicamente se resume a: mudança nos arquivos de configuração e opções não suportada em versões mais novas.

      Se você quer ter algo estável, basta configurar o pacman para manter o arquivo de configuração atual e evitar mudanças nesses arquivos, mas para isso você precisa olhar o que está mudando no seu sistema e usar pacdiff, acompanhar changelog dos pacotes (se não tiver no arch, tem que olhar no upstream) para acompanhar as mudanças e evitar quebras no sistema.

      Arch é o que você faz!

      Esse link resume muito é o Arch!

      Estou preparando uma documentação e vou divulgar aqui no blog falando sobre hardening e estabilidade do Arch.

      E posso dizer ainda que o lance do desenvolvimento da distribuição mudou e melhorou bastante, os pacotes de mover os pacotes não aconteceu mais!
      Muita coisa mudou, menos as questões dos usuários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *